HOTWORDS

Theme Support

Unordered List

Recent Posts

Science Planet. Tecnologia do Blogger.

Fashion

Technology

Fashion

Editors Picks

Follow us


Sonda Juno revela ciclones e forte campo magnético em Júpiter


Olá Gostaria de Saber se querem que o site volte a postar mais conteúdo, Se Sim comente de forma anonima ou de sua preferencia no final deste artigo.
#AREAALIEN


Estruturas de forma oval indicam existência de ciclones nos polos de Júpiter (Foto:  J.E.P. Connerney et al., Science (2017))


Um cenário caótico foi revelado a partir da observação privilegiada dos polos de Júpiter pela sonda Juno, que orbita o maior planeta do sistema solar desde julho de 2016. A existência de ciclones que chegam a 1,4 mil quilômetros de diâmetro e um campo magnético cerca de 10 vezes mais forte do que o da Terra foram algumas das primeiras conclusões tiradas a partir dos dados coletados por Juno. Elas foram descritas em dois estudos publicados na revista "Science" nesta quinta-feira (25).
A Juno é uma sonda enviada para o espaço pela Nasa em 2011 para explorar Júpiter. Depois de uma viagem de cinco anos, Juno finalmente chegou ao seu destino no ano passado e, desde então, tem orbitado o planeta. Ela tem ferramentas para estudar a atmosfera de Júpiter e analisar as luzes ao redor dos polos sul e norte do planeta. Se tudo sair como o previsto, a sonda completará 37 órbitas e terminará sua missão em fevereiro de 2018.
Um dos estudos divulgados nesta quinta descreve as imagens dos polos de Jupiter feitas por Juno: elas revelam diversas estruturas em formato oval. Uma sequência de imagens feita ao longo do tempo indica que tratam-se de ciclones com diâmetro de até 1,4 mil quilômetros.
A mesma pesquisa revelou que o campo magnético de Júpiter é muito mais forte do que se acreditava: cerca de 10 vezes maior do que o campo magnético da Terra.

O segundo estudo diz respeito à magnetosfera de Júpiter, região em volta do planeta em que o campo magnético protege das partículas carregadas no vento solar. Segundo os pesquisadores, os dados coletados pela Juno ao atravessar essa região indicam que a magnetosfera de Júpiter está se expandindo.
O objetivo da exploração de Júpiter, segundo a Nasa, é entender como o planeta se formou e como ele se transformou ao longo do tempo. Isso ajudará a entender melhor nosso Sistema Solar.
Juno tem 3,5 metros de altura e 3,5 metros de diâmetro e é movida a energia solar. Todo o programa custou US$ 1,13 bilhão. A Juno foi a primeira missão que levou uma nave movida a energia solar comandada a partir da Terra, além de orbitar de polo a polo de um planeta. Nenhuma outra sonda chegou, até agora, tão perto da superfície de Júpiter.

Fonte

Cientistas dizem que erupções no planeta anão Ceres podem indicar a presença de vida

Cientistas estão aprendendo mais sobre como o planeta anão Ceres se formou, mantendo-se alertas caso haja vida extraterrestre por lá.

Até recentemente, um vulcão em Ceres estava cuspindo material salgado debaixo da superfície do planeta.
Bem, na verdade isto ocorreu há 4 milhões de anos, mas pelos padrões do nosso sistema solar não foi tanto atrás, especialmente considerando-se que a cratera na qual os cientistas observaram a evidência de atividade criovulcânica tem aproximadamente 30 milhões de anos, de acordo com um estudo no Astronomical Journal. Para comparação, nosso sistema solar tem quase 5 bilhões de anos.
O Instituto Max Planck para Pesquisa do Sistema Solar (MPS) recém anunciou a explosiva descoberta dizendo:
Ceres é assim o corpo mais próximo do Sol que mostra atividade criovulcânica
Especialistas puderam ver o material ejetado – o qual o Instituto se referiu como sendo “salmoura do subterrâneo”, composta de sais minerais – na cratera Occator do planeta anão, porque tinha uma tonalidade mais clara do que tudo mais naquela área, devido à sua pouca idade. Eles analisaram os dados da sonda espacial Dawn, da NASA, que havia seguido Ceres ao longo de sua órbita ao redor do Sol e capturado as imagens.
A informação ajuda a contar uma história sobre como aquela parte de Ceres se formou, com um enorme objeto impactando o planeta para criar a cratera Occator de 92 quilômetros de diâmetro – mas isto também “disparou a atividade criovulcânica mais tarde”, disse o pesquisador do MPS, Andreas Nathues, numa declaração do instituto. Com o impacto, a salmoura se moveu para perto da superfície e finalmente entrou em erupção.
Cratera Occator, em Ceres.
Esta vista da cratera Occator no planeta anão Ceres mostra o poço de cor mais clara no seu centro e o domo criovulcânico. As montanhas irregulares na beirada do poço projetam suas sombras em partes do poço. Foto: NASA/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDA
Essas erupções podem não ter terminado. “Se a atividade criovulcância cessou completamente ou se ainda está ocorrendo a nível menor, ainda não está claro, disse o MPS. “As fotos da cratera mostrando neblina quando vistas em certos ângulos parecem mostrar a última opção.”
O diâmetro da cratera (92 km) é significante, devido o tamanho de todo o planeta anão, 939 quilômetro de diâmetro, de acordo com o estudo no Astronomical Journal. Isto torna o planeta anão o maior objeto no cinturão de asteroides”, que fica entre Marte e Júpiter.
Em seu ponto mais próximo da Terra, o cinturão de asteroides fica tão longe de nós quanto o Sol, e seu ponto mais longínquo é aproximadamente o dobro dessa distância. Assim, por que deveríamos nos importar como Ceres se formou?
Com base em seu potencial para ter água, os cientistas estão tentando determinar se ele poderia ter vida. A NASA declarou:
A água é essencial para a vida, assim é possível que com este ingrediente e algumas outras poucos condições, a vida pode existir lá.  Coisas vivas em Ceres, se elas estiveram lá mesmo, provavelmente seriam micróbios muito pequenos, similares às bactérias.  E embora Ceres possa não ter coisas vivas hoje, há sinais de que abrigava a vida no passado.

Fonte 

Teria alienígena sido morto em base da Força Aérea dos EUA? Caso nunca foi resolvido

OVNIs estavam sendo reportados próximos da Base da Força Aérea McGuire e na Base próxima, Fort Dix, em Nova Jersey (EUA), antes da polícia ter sido requisitada para investigar o caso.

Mas os eventos que alegadamente transcorreram vão muito além dos avistamentos tradicionais de OVNI. Alega-se que um oficial da polícia militar em Fort Dix reportou ter visto “um objeto passar por sobre seu veículo em baixa altitude”, enquanto ele dirigia.
Após frear, ele alega ter visto na frente de seu carro “um ser pequeno, com cabeça grande, olhos pretos, e corpo muito delgado”.  O oficial alega ter entrado em pânico, sair do carro e sacar sua pistola automática .45, antes de mandar a criatura deitar no chão. Porém, após seu pedido ser ignorado, ele teria atirado várias vezes.
Teria alienígena sido morto
Alega-se que a criatura ferida pulou a cerca para dentro da base McGuire e correu para a pista de pousos e decolagens. Mas, de acordo com o caso, ela então caiu morta.
O Sargento Jeff Morse é mencionado como sendo a testemunha que permitiu o acesso da polícia à cena.  Mas alega-e que este se trata somente de um pseudônimo que lhe foi dado para evitar que sua verdadeira identidade vazasse.
Segundo a omni.media, a polícia encontrou “o corpo, agachado em posição fetal, sem respirar. Estava realmente morta. Chocados, mas mantendo o protocolo, eles começaram a cercar a área. De repente, um grupo de oficiais militares usando boinas azuis chegaram, distanciando Morse da área. Morse assistiu de longe enquanto este novo grupo de boinas azuis, que ele já havia visto antes, pareciam tomar conta da situação.”
O investigador de OVNIs, Leonard Springfield, mais tarde entrevistou Morse sobre o bizarro suposto evento.
Morse foi citado por Springfield como tendo dito que “ele nunca ficou próximo o suficiente para observar os detalhes, tais como características faciais, ou suas mãos e pés”. Porém, ele lembrou “que, sob a luz dos faróis da caminhonete, a pele do corpo sem roupa e sem pelos era úmida, brilhante e similar à de uma cobra. A entidade tinha aproximadamente 1,20 metros de altura, com uma cabeça grande, torso esbelto, braços e pernas finas e, de forma geral, de coloração marrom acinzentada.
Springfield ainda disse:
Enquanto estava patrulhando, Morse assistiu os especialistas de Boinas Azuis borrifarem o cadáver a partir de um tanque portátil, cobrindo-o com um lençol branco.  Antes, o corpo havia sido colocado cuidadosamente numa plataforma e uma armação de madeira foi construída ao seu redor.
Finalmente isto foi colocado num recipiente quadrado de metal prateado, de aproximadamente 3 metros por 3 metros, com marcações azuis indistinguíveis.
Ele diz que, após o ocorrido, lhe disseram que uma aeronave de carga C-141 pousou no local, o ser foi levado a bordo, e suspeita-se que ele foi levado para a Base Wright-Pattersoon da Força Aérea, em Dayton, Ohio.
Alguns teóricos da conspiração alegam que esta é a mesma base aérea onde corpos alienígenas do suposto acidente com um OVNI que ocorreu em 1947, próximo da cidade de Roswell, foram levados secretamente.
Alega-se que Morse e o policial foram separados e alertados a nunca falar sobre o incidente de novo, ou arriscariam perder seus empregos.
De acordo com pesquisadores de OVNIs, o Sr. Morse e outras testemunhas tiveram que ir mais tarde para a Wright Patterson, onde teriam sido interrogados.
Morse disse anos mais tarde:
Eles me falaram sobre meu dever de manter minha boca fechada… eu assinei um formulário e isto me obriga pelo resto da minha vida.
O site omni.media republicou o caso. No artigo é perguntado:
Teria um militar policial, em pânico e com o dedo sensível, realmente atirado e matado um alienígena aquela noite?
Poderemos nunca saber a verdade. O acobertamento deste e tantos outros incidentes aparentes deste tipo têm sido tão lacrados, que aqueles envolvidos temem o pior pelos seus empregos, e talvez até mesmo por suas vidas.
Mas se este caso de morte de alienígena for verdadeiro, então temos muito mais que temer do que somente as ameaças militares.
Fonte 

Há um plano secreto para quando recebermos um sinal dos alienígenas?

(Foto: Telescópio Espacial Hubble/Nasa via Getty Images)
Na ficção científica, um sinal vindo dos alienígenas geralmente é uma dica para que os pilotos militares decolem suas aeronaves, prontos para a batalha.
Mas na realidade, seria um pouco diferente, de acordo com cientistas britânicos que estão procurando por esses sinais.
O Dr. John Elliot, coordenador adjunto no Reino Unido para a Rede de Pesquisa da Procura por Inteligência Extraterrestre, diz que (ao contrário das previsões de muitos fãs de OVNIs) a informação será compartilhada abertamente com a população. 
Se o sinal for captado pelo SETI (uma organização que procura por sinais de vida alienígena usando rádio telescópios de alta potência), então isto será publicado livremente. (*)
A rede espera que as pessoas tenham uma discussão aberta sobre o que fazer – mas a partir desse ponto de vista, será difícil parar as pessoas de enviarem seus próprios sinais, alertou Elliot.
O Dr. Elliot disse:
Eu penso que haveria uma resposta enviada de alguma forma, em algum ponto ao redor do globo, por alguém com o equipamento requerido.
Mas poderia levar até 200 anos para recebermos uma resposta, disse o Dr. Elliot – com uma espera de 100 anos para nossa mensagem alcançar os alienígenas, seguidos de outros 100 anos para recebermos a resposta.  Isso, é claro, presumindo que os alienígenas não têm Motores de Dobra, Teletransportadores – ou quaisquer outras tecnologias que a ficção científica espera que teremos no futuro…

NASA deve ter olhado duas vezes antes de publicar esta imagem

Em 1986, durante o STC-61-c, a sétima missão do astronauta do ônibus espacial Columbia fotografou a Terra da órbita

O triângulo preto UFO é um dos objetos de vôo não identificados os mais famosos vistos por testemunhas na terra. A onda UFO belga e as luzes de Phoenix são considerados dois dos avistamentos mais importantes de OVNIs Triângulo Negro.

Há inúmeras imagens tomadas por astronautas da NASA e sondas da NASA que retratam objetos misteriosos neles. Uma tal imagem fascinante foi tomada durante o programa do vaivém espacial da NASA em 1986. Retratado aqui é um triângulo misterioso dado forma ao objeto que flutua entre o vaivém espacial e nosso planeta.
Em 1986, durante a STC-61-c, a sétima missão dos astronautas do ônibus espacial Columbia fotografou a Terra da órbita. No meio da imagem, um estranho objeto em forma triangular é claramente visível.
Mas a NASA argumenta que este não é um OVNI, e apenas um pedaço de TUBO DE ISOLAMENTO TÉRMICO flutuando aleatoriamente no espaço.
Ufólogos, no entanto, discordam. A maioria das pessoas não acredita que a imagem tomada pelos astronautas a bordo do ônibus espacial Columbia mostra um azulejo de isolamento térmico, mas sim o famoso OVNI de forma triangular que foi visto por testemunhas em todo o globo.
Os chamados Triângulos Negros foram categorizados como uma classe de objetos voadores não identificados, ou UFOs, com certas características comuns que teriam sido observadas durante os séculos 20 e 21. Os relatórios descrevem geralmente esta classe de UFOs como os grandes, silenciosos, objetos triangulares pretos que pairam ou que cruzam lentamente em altitudes baixas sobre cidades e estradas.
Um dos mais famosos avistamentos de OVNI em formato triangular ocorreu em novembro de 1989 ( Curiosamente, a imagem tomada pelos astronautas do OVNI do Triângulo Negro ocorreu três anos antes ) quando a chamada onda UFO belga começou. Durante esses incidentes, dois belgas F-16 tentaram interceptar os objetos (conseguir um bloqueio de mísseis bem-sucedido em duas ocasiões) apenas para ser superados.
Curiosamente, os eventos de 29 de novembro foram documentados por mais de trinta diferentes grupos de testemunhas e três grupos separados de policiais. Todos os relatórios relataram um objeto grande voando em baixa altitude. A embarcação era de uma forma plana, triangular, com luzes embaixo.
Além disso, a embarcação gigante não fez um som como ele se moveu lentamente através da paisagem da Bélgica.
Além da onda de OVNI belga, as luzes de Phoenix são um dos melhores avistamentos onde vários objetos não identificados, muitos deles triângulos pretos, foram vistos pelos moradores de  Phoenix, Arizona  e gravados pela mídia local e residentes com câmeras de vídeo em vários Noite, começando na quinta-feira, 13 de março de 1997.
Curiosamente, a imagem do OVNI Triângulo Negro foi obtida do  Portal para a Fotografia Astronauta da Terra,  um site da NASA no Departamento de Ciências da Terra e Análise de Imagens do Centro Espacial Lyndon B. Johnson. Estas são as pessoas responsáveis ​​por ensinar astronautas em observações da Terra e cuidar, catalogar e "editar" imagens que os astronautas tomam no espaço (ou usado para).
"Décadas atrás, os visitantes de outros planetas nos avisaram sobre onde estávamos indo e nos ofereceram para ajudar. Mas ao invés disso, nós, ou pelo menos alguns de nós, interpretamos suas visitas como uma ameaça, e decidimos atirar primeiro e fazer perguntas depois. " - Paul Hellyer, ex-ministro canadense da  Defesa ( fonte )
É possível que esses misteriosos triângulos em forma de OVNIs sejam de fato veículos desses "visitantes"?
A imagem só estava disponível por um curto período de tempo no seguinte link
Curiosamente, existem muitas outras imagens da NASA mostrando o mesmo objeto no espaço.
Alguns fo as imagens estão disponíveis aqui: NASA Fotos Database Records .
 "Sim, houve embarcações caiu, e os corpos recuperados. Não estamos sozinhos no universo; Eles vêm aqui há muito tempo. Acontece que tenho o privilégio de estar no fato de que fomos visitados neste planeta, eo fenômeno OVNI é real. "- Edgar Mitchell, o sexto homem a andar na lua. Fonte ) ( fonte)

Muitas pessoas têm desenhado semelhanças entre o misterioso objeto em forma de triângulo queimado pelos Astronautas do Ônibus Espacial em 86 eo Satélite do Cavaleiro Negro, que supostamente esteve orbitando nosso planeta por mais de cinqüenta anos.

Sensacional! Cientistas confirmam a existência de cristais de tempo

imagem em destaque: Cristal de tempo da equipe de Harvard (Image: Soonwon Choi)

Cristais de tempo são uma forma estranha de matéria e permaneceu até recentemente como um assunto altamente especulativo. Esses cristais têm uma estrutura atómica que não só se repete no espaço, mas também em tempo, numa oscilação constante sem energia. Cristais de tempo são uma das coisas mais legais que a física já gastado nos últimos meses porque eles apontam para um novo mundo de fases 'não-equilíbrio "  que são totalmente diferente de qualquer coisa os cientistas têm estudado no passado. 
Os físicos dizem que esses cristais "abrem a porta para um mundo totalmente novo de fases de não equilíbrio", e poderiam um dia fazer para computadores quânticos ultra-seguros.

O acesso à melhor tecnologia em nossa era permite que a ciência investigue previsões que desafiam tudo o que pensamos que sabíamos sobre o universo.
Por esta razão, a física nunca deixa de nos surpreender.
O que começou como mera teoria em 2012 foi demonstrado 5 vezes mais tarde, quando os cientistas finalmente confirmaram a existência de cristais de tempo , um novo estado da matéria.
Time Crystals - um nome que soa quase como se tivesse saído de um filme de ficção científica de Hollywood, foi proposto pela primeira vez pelo físico teórico Frank Wilczek, vencedor do Prêmio Nobel,  em 2012 . Cristais de tempo foram consideradas estruturas hipotéticas que parecem ter movimento até mesmo no seu mais baixo estado de energia,  conhecido como um estado fundamental . Agora os cientistas provaram sua existência.
Cristais de tempo são uma forma estranha de matéria e permaneceu até recentemente como um assunto altamente especulativo. Estes cristais têm uma estrutura atómica que não só se repete no espaço, mas também no tempo, numa oscilação constante sem energia.
Para muitas pessoas, cristais de tempo pode soar como uma daquelas coisas imaginárias puramente abstratas. No entanto, recentemente, os pesquisadores conseguiram medir os estranhos cristais e duas equipes diferentes tenham independentemente relataram ter criado 'Cristais tempo "no laboratório.
Em um artigo publicado na revista Physical Review Letters, Norman Yao, professor assistente da Universidade de Berkeley (Califórnia) descreve como criar e medir as propriedades de um cristal de tempo. Yao ainda prevê as várias fases que cercam o cristal: algo semelhante a estados líquidos e gasosos de gelo.
O estudo não é mera especulação: oferece evidência. Dois grupos de cientistas, um da Universidade de Maryland e outro de Harvard, seguiram o modelo de Yao e já criaram o primeiro Cristal de Tempo.
Estes cristais são repetidos no tempo porque são "chutados" periodicamente. É um pouco como bater gelatina repetidamente para fazê-lo mover, explica Yao.
O mais importante, não é que esses cristais se repitam no tempo, mas são os primeiros de uma grande classe de novos materiais que estão intrinsecamente fora de equilíbrio, incapazes de alcançar uma condição de equilíbrio imobilizado, como um diamante ou um rubi .

De Stock: Soonwon Choi

"Nós tomamos essas idéias teóricas que temos esticado ao longo dos últimos dois anos e realmente construído no laboratório",  diz um dos pesquisadores , Andrew Potter da Universidade do Texas, em Austin.
"Esperemos que este seja apenas o primeiro exemplo destes, com muitos mais por vir."
Como explicado por Science Alert, os cristais de tempo  são uma das coisas mais legais que a física tem desenvolvido nos últimos meses, porque apontam para um novo mundo de fases de  "não equilíbrio"  que são completamente diferentes de tudo o que os cientistas estudaram no passado.
"Isso mostra que a riqueza das fases da matéria é ainda mais ampla do que pensávamos", disse o físico Norman Yao, da Universidade da Califórnia, Berkeley, que publicou o plano em janeiro,  ao Gizmodo.
"Um dos santos grails na física é compreender que tipos de matéria podem existir na natureza. [N] em fases de equilíbrio representam uma nova avenida diferente de todas as coisas que estudamos no passado. "
Proxima  → Inicio

Total de visualizações

Postagens em Destaque

Seguidores